• slide01
  • slide02
  • slide03

CONFIRA QUANTO O AUTÔNOMO GANHA A MAIS AO SE APOSENTAR

 

Para economizar, porém, é costume o autônomo contribuir apenas com R$ 124,40 ao mês – 20% de um salário mínimo de R$ 622 – mesmo tendo uma renda maior

Embora gaste menos com o INSS, nesse caso, o trabalhador terá uma aposentadoria muito menor, de apenas um salário mínimo por mês.

Para ajudar neste planejamento, trazemos quatro simulações que mostram quanto ele pode ganhar a mais se aumentar a contribuição do INSS. Em todos os exemplos, o autônomo vem pagando 20% sobre o piso.

Com base nas simulações, é possível saber de quanto será o benefício ao ampliar a contribuição sobre um salário de R$ 2.500, sobre o teto ou investindo s diferença em um plano de previdência privada até o ano da aposentadoria. Se um homem com 40 anos de idade e 20 de contribuição aumentar suas contribuições nos próximos 15 anos sobre o salário de R$ 2.500 por mês, ele terá, em 2007, uma aposentadoria de R$ 1.842,06. Se ele passasse a contribuir sobre o teto, se aposentaria com R$ 2.758, 45

“Como a taxa de juros caiu, a rentabilidade dos investimentos, como a previdência privada, ficou menor. Hoje, as condições que o INSS oferece são melhores”, diz Newton Conde, da Conde Consultoria Atuarial, que elaborou os cálculos.

Como aumentar o valor do seu benefício

Veja abaixo quanto o segurado pode ganhar se aumentar a contribuição ou investir essa diferença em previdência privada.

  • Quem é autônomo tem direito de aumentar o valor da contribuição ao INSS

Perfil 1

  • Homem de 35 anos de idade e com dez anos de contribuição ao INSS
  • Por mês, ele contribui apenas sobre o salário mínimo
  • Ele paga 20% sobre R$ 622, o que resulta em R$ 124,40

Planos para o futuro

O segurado pretende se aposentar com 60 anos de idade e 35 anos de contribuição

Quanto ele irá ganhar se:

Aumentar a contribuição sobre o salário de R$ 2.500 por mais 25 anos (tempo que falta para ele se aposentar), pagando ao mês 20% que dá R$ 500

 

Aumentar a sua contribuição sobre o teto do INSS por mais 25 anos, pagando por mês 20% sobre R$ 3.916,20, que dá R$ 783,24

Aposentadoria em 2037

R$ 4.197,75

Aposentadoria em 2037

R$ 6.432,10

 

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre renda de R$ 2.500, somando o rendimento da aplicação com a aposentadoria que ganhará pelo mínimo, o autônomo receberá R$ 3.728

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre o teto do INSS, somando o rendimento da aplicação com aposentadoria que ganhará pelo mínimo o autônomo receberá R$ 4.972,64

 

Perfil 2

  • Homem de 40 anos de idade e com 20 anos de contribuição ao INSS
  • Por mês ele paga 20% sobre R$ 622, o que resulta em R$124,40

Planos para o futuro

O segurado pretende se aposentar com 55 anos de idade e 35 anos de contribuição

Quanto ele irá ganhar se:

Pelos 15 anos que faltam para se aposentar, aumentar a contribuição para 20% sobre R$ 2.500 por mês (gasto de R$ 500)

Por mais 15 anos, aumentar a contribuição sobre o teto do INSS, pagando, por mês, R$ 783, 24 ao INSS

Aposentadoria em 2027

R$ 1.842,06

Aposentadoria em 2027

R$ 2.758, 45

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre a renda de R$ 2.500, somando o rendimento da aplicação com a aposentadoria que ganhará pelo mínimo, o autônomo receberá R$ 1.635,08

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre a renda de R$ 2.500, somando o rendimento da aplicação com a aposentadoria que ganhará pelo mínimo, o autônomo receberá R$ 1.635, 08

 

Perfil 3

  • Homem de 50 anos de idade e com 20 anos de contribuição ao INSS
  • Por mês, ele paga 20% sobre R$ 622, o que resulta em R$ 124,40

Planos para o futuro

O segurado pretende se aposentar com 65 anos de idade e 35 anos de contribuição

Quanto ele irá ganhar se:

Pelos próximos 15 anos que faltam para se aposentar, decidir aumentar a contribuição sobre R$ 2.500 por mês (gasto de R$ 500)

Nos próximos 15 anos, aumentar a contribuição para o teto do INSS, ele pagará, por mês, R$ 783,24

Aposentadoria em 2027

R$ 2.838,17

Aposentadoria em 2007

R$ 4.250, 10

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre a renda de R$ 2.500, somando o rendimento da aplicação com a aposentadoria que ganhará pelo mínimo, o autônomo receberá R$ 1,715, 91

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre o teto do INSS, somando o rendimento da aplicação com aposentadoria que ganhará pelo mínimo, o autônomo receberá R$ 2.082,23

 

Perfil 4

  • Homem de 50 anos de idade e com 30 anos de contribuição ao INSS
  • Por mês, ele paga 20% sobre R$ 622, o que resulta em R$ 124, 40

Planos para o futuro

O segurado pretende se aposentar com 55 anos de idade e 35 anos de contribuição

Quanto ele irá ganhar se:

Nos cinco anos que faltam para aposentar, aumentar a contribuição sobre R$ 2.500 por mês (gasto de R$ 500)

Nos próximos cinco anos, aumentar a contribuição sobre o teto do INSS, ele pagará, por mês, R$ 782,24

Aposentadoria em 2017

R$ 837,41

Aposentadoria em 2017

R$ 1.155, 79

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre a renda de R$ 2.5000, somando o rendimento da aplicação com a aposentadoria que ganhará pelo mínimo, o autônomo receberá R$ 855,19

Investir em previdência privada a diferença da contribuição sobre o salário mínimo e sobre o teto do INSS, somando o rendimento da aplicação com aposentadoria que ganhará pelo mínimo, o autônomo receberá R$ 916, 83

 

Como é o pagamento

A contribuição tradicional

É de 20% sobre o salário mensal

Exemplo: Um dentista ganha R$ 2.500 em um mês

  • O profissional pagará R$ 500 à Previdência Social

No outro mês, a renda dele é de apenas R$ 1.000

  • Ele pagará R$ 200

Cobertura previdenciária

Para o segurado

  • Aposentadoria por tempo de contribuição
  • Aposentadoria por idade
  • Aposentadoria por invalidez
  • Auxílio doença
  • Salário Maternidade

Plano simplificado

11% do salário mínimo (para quem é inscrito no Plano Simplificado)

Aposentadoria

  • O benefício é de um salário mínimo
  • Para ter a aposentadoria maior, o segurado precisará pagar as diferenças acumuladas da contribuição maior

Cobertura previdenciária

Para o segurado

  • Aposentadoria por idade
  • Aposentadoria por invalidez
  • Auxílio doença
  • Salário maternidade

Atenção

Não dá direito à aposentadoria por tempo de contribuição

Para ter um benefício mais vantajoso, só cerca de sete anos de contribuição podem ter valores menores

Os autônomos podem escolher entre diferenças sistemas de contribuição ao INSS. O mais tradicional é o que desconta 29% do salário mensal. Ainda que pese mais no bolso, essa é a única opção que possibilita, no futuro, a aposentadoria por tempo de contribuição.

Nesse caso, o valor máximo da contribuição é de R$ 783,24 (20% do teto do INSS, hoje em R$ 3.916,20).

Já para o plano simplificado, que tem o desconto de 11% sobre o salário mínimo (hoje, R$ 622), e pelo Microempreendedor Individual, com alíquota de 5% sobre o mínimo, o segurado pode se aposentar apenas com o benefício por idade ou por invalidez. Confira ao lado as opções de pagamento.

Segundo o consultor Newton Conde, muitos trabalhadores ainda confundem o cálculo da Previdência. “Antes, só as 36 últimas contribuições entravam no cálculo. Assim, os trabalhadores recolhiam apenas o mínimo por quase todo o tempo e, nos últimos anos, eles aumentaram a contribuição ao teto”, afirma.

Atualmente, o INSS calcula média dos 80% maiores pagamentos feitos desde julho de 1994. Esse valor que será a base para a aposentadoria do segurado; Se ele pedir aposentadoria por tempo de contribuição, ainda Serpa aplicado o fator previdenciário, que costuma reduzir o benefício final.

Se, por exemplo, o segurado se aposentar com 35 anos de contribuição, ele terá pago 420 meses ao INSS. No cálculo do benefício, a Previdência escolhe os 80% maiores pagamentos e descarta os 20% menores.

Para Conde, é por esse caminho que o trabalhador pode estimar o tempo que deve contribuir apenas pelo mínimo. “De 420 contribuições, 84 serão desprezadas. Esse período excluído vale por sete anos. Esse pode ser o tempo que o segurado iria contribuir só com o piso.”
O recomendável para o autônomo é contribuir com o máximo que puder, sempre que tiver condições e não se acomodar. Outra vantagem de investir mais é que, se precisar ficar afastado, o segurado também garante auxílio doença maior.